PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

quinta-feira, agosto 29, 2013

ITAMARATY: AJOELHOU UMA VEZ, AJOELHARÁ SEMPRE.

29/08/2013
Crise no Itamaraty: Evo Morales pede volta de senador


O presidente boliviano, para quem Dilma telefonou avisando da demissão de Antonio Patriota do Itamaraty e marcando uma conversa, quer que Pinto Molina seja submetido à Justiça de seu país

Evo Morales pede que Brasil entregue senador à Bolívia

Para presidente boliviano, corruptos não podem ser protegidos

Janaína Figueiredo
Correspondente
Crise no Itamaraty
BUENOS AIRES e Brasília


O presidente da Bolívia, Evo Morales, rompeu o silêncio sobre a fuga do senador Roger Pinto Molina da embaixada brasileira em La Paz e afirmou que "o que corresponde ao Brasil é devolver Roger Pinto para que ele se submeta à Justiça boliviana". Às vésperas da reunião de cúpula da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), no Suriname, onde se encontrará com a presidente Dilma Rousseff, o presidente boliviano foi enfático:

- Se (o governo Dilma) condena este fato, então o que corresponde ao Brasil é devolver Roger Pinto, e que ele se submeta à Justiça boliviana.

Morales não atacou o governo brasileiro, mas voltou a exigir uma resposta do Palácio do Planalto:

- É importante que o governo do Brasil explique esta operação, estamos esperando resposta à nota oficial diplomática enviada pela chancelaria.

A presidente Dilma ligou ontem para Morales e lhe informou sobre a demissão do ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota, que deixou ontem o cargo.

Na visão do presidente boliviano, por trás da fuga de Pinto Molina existem grupos que pretendem abalar o relacionamento entre os dois países.

- Não é possível que existam grupos ou autoridades que protegem corruptos. Alguns políticos do Brasil protegem corruptos bolivianos - afirmou Morales.

Pinto Molina responde a 20 processos

Enquanto o senador opositor insiste em dizer que é um perseguido político, o presidente boliviano considera que Pinto Molina é "um delinquente que está em mãos da justiça boliviana". Morales lembrou que o senador já foi condenado por corrupção e enfrenta mais de 20 processos nos tribunais de seu país.

- Se se tratasse do governo boliviano, do presidente Evo Morales, se algum corrupto está escapando para outro país eu colocaria esse corrupto na fronteira... Na luta contra a corrupção devem ser adotadas decisões políticas.

Quando uma jornalista boliviana lhe perguntou sobre qual seria o melhor caminho a seguir a partir de agora, expulsão ou extradição, Morales não respondeu diretamente. Não está claro se o governo boliviano fará um pedido de extradição, como pediram alguns congressistas do país. 

Morales lembrou que antes de chegar à Presidência, em 2006, enfrentou processos na Justiça, por acusações de subversão, assassinato, narcotráfico e terrorismo:

- Desde 1989, fui processado, mas nunca fugi nem me escondi em embaixadas. Sempre me defendi, demonstrei minha inocência e estou onde estou... Quem escapa é um corrupto confesso.

O presidente negou qualquer negociação com o Brasil sobre a situação do senador e, muito menos, uma sugestão por parte de seu governo para que Pinto Molina fugisse por terra:

- Jamais falei sobre isso com Dilma.

Para o embaixador da Bolívia no Brasil, Jerjes Justiniano Talavera, o episódio servirá para aproximar os governos:

- Não existe um conflito, uma crise diplomática. O que houve foi apenas um incidente, que em nada vai afetar as relações bilaterais. A troca de ministros foi um gesto de enorme significado. Desse incidente vai nascer uma aproximação maior entre Brasil e Bolívia.

adicionada no sistema em: 29/08/2013 04:52

Nenhum comentário: