PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

quinta-feira, agosto 22, 2013

QUEM LÊ TANTA NOTÍCIA?

SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

22 de agosto de 2013

O Globo

Manchete: A volta do mensalão - STF contorna crise e mantém condenações
Tese de Lewandowski, que reduziria penas, é rejeitada por 8 a 3

Após bate-boca da semana passada, coube ao decano Celso de Mello defender a instituição e o direito de livre manifestação dos ministros em plenário

A crise no Supremo Tribunal Federal provocada pelo bate- boca entre o presidente do tribunal, Joaquim Barbosa, e o ministro Ricardo Lewandowski foi contornada com a intervenção do decano da Corte, Celso de Mello. Em ação combinada com Barbosa, ele fez desagravo público a Lewandowski e defendeu o direito de os ministros discordarem dos demais sem terem a palavra cerceada, além de defender a responsabilidade da instituição. Barbosa, que acusara o colega de fazer chicana, disse que respeita os ministros, mas que é preciso acelerar o julgamento dos recursos do mensalão. Em seguida, a tese de Lewandowski no caso do ex-deputado Bispo Rodrigues foi derrotada: por 8 votos a 3, a pena foi mantida. E os recursos de três ex-dirigentes do Banco Rural foram rejeitados por unanimidade. (Págs. 1, 3, 4 e Merval Pereira)
Centenas de mortes na Síria
Rebeldes acusam Assad de matança com gás

A oposição síria acusou o regime de Bashar al-Assad da morte de centenas de pessoas — os números variam entre 500 e 1.300 — em ataques com armas químicas nos arredores de Damasco. O governo negou, e a Rússia acusou os rebeldes pela ofensiva. A ONU pediu investigação independente para confirmar o que seria o maior ataque com uso de gás desde a década de 1980. (Págs. 1, 32 e 33)

Artigo: Patrick Cockburn

Evidências são críveis, mas base da propaganda de guerra. (Pág. 1)
Real sofre pior perda no mundo
O dólar bateu R$ 2,451, com alta de 2,38% e no maior patamar desde dezembro de 2008. Após a divulgação da ata do Federal Reserve, cresceu a percepção de que estímulos à economia americana serão retirados logo, e o dólar subiu. O real foi a moeda que mais se desvalorizou no mundo. (Págs. 1, 25 e 26)
Emprego formal registra o pior julho em 10 anos
Foram criadas 41.463 vagas com carteira assinada no país no mês passado, 70% menos do que em julho de 2012. A geração de empregos recuou em todos os setores da economia brasileira. (Págs. 1 e 28)
TAM reduz voos a partir do Galeão
A empresa reduzirá entre 7% e 9% a oferta de voos domésticos e internacionais. O Rio não terá mais voos diretos para Frankfurt e Paris já a partir deste mês. (Págs. 1 e 30)
Emergência: País vai trazer 4 mil médicos de Cuba
O Ministério da Saúde anunciou ontem acordo para contratar quatro mil médicos cubanos até o fim do ano e preencher vagas ainda abertas, em regiões carentes do Brasil, no programa Mais Médicos. Para associações de profissionais do setor, medida é eleitoreira. (Págs. 1, 12 e 13)
Vitória de Dilma: Congresso não derruba vetos
Os agrados à base e a ameaça de recorrer ao STF garantiram ao Planalto a manutenção de quatro vetos examinados pelo Congresso. (Págs. 1 e 8)
Serra admite candidatura
Tucano disse que, a depender das condições das prévias no PSDB, pode tentar a Presidência. (Págs. 1 e 10)
Marina vai diretamente ao TSE
Alegando lentidão dos cartórios, ela entregará 650 mil assinaturas de apoio à Rede. (Págs 1 e Ilimar Franco)
Mar de burocracia
Detran: receita em alta, serviço ruim

Postos mal equipados e burocracia são queixas comuns no Detran, que, em quatro anos, aumentou a arrecadação em 63%. (Págs. 1, 14 e 15)
Fim da ocupação: Câmara suspende os trabalhos
Por determinação da Justiça, a ocupação da Câmara por manifestantes acabou, após 12 dias. Mas vereadores não voltaram ao trabalho. (Págs. 1 e 17)
Máfia dos caça-níqueis: PMs envolvidos com o jogo ilegal
Nove PMs foram presos por envolvimento com a máfia dos caça-níqueis. QG da quadrilha era antiga fortaleza do jogo do bicho na Zona Oeste. (Págs. 1 e 16)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Criação de empregos tem pior julho em 10 anos
Saldo de 41,5 mil vagas formais representa queda de 77% ante o mesmo mês de 2012 e surpreende

O Ministério do Trabalho e Emprego informou que foram criadas 41,5 mil vagas com carteira assinada no País no mês passado. Foi o mês de julho mais fraco em uma década na geração de postos de trabalho. A pior marca para esse mês havia sido registrada em 2003, quando o saldo atingiu 37,2 mi postos. Incluindo as contratações enviadas pelas empresas ao governo for criado prazo, a geração naquela ocasião subiu para 57 mil. O resultado representa queda de 77% na comparação com julho de 2012 e surpreendeu economistas, setores produtivos e o governo. “O restante do mundo está pior do que nós”, disse o ministro Manoel Dias. Ele abandonou a projeção de criação de 14 milhão de vagas em 2013 visão da presidente Dilma Rousseff, setembro será “crucial” para a retomada econômica, com as concessões de infraestrutura. (Pàgs. 1 e Economia B1 e B3)

Dólar vai a R$ 2,43

BC interveio, mas o dólar subiu 1,75% e fechou o dia a R$ 2,4360, maior cotação desde março de 2009. (Págs. 1 e B4)
STF mantém condenações e rejeita tese de Dirceu
Após o bate-boca da semana passada, os ministros do STF rejeitaram o recurso do ex-deputado Bispo Rodrigues, fecharam brecha que os advogados do ex-ministro José Dirceu pretendiam usar e mantiveram as penas para os ex-dirigentes do Banco Rural. O tribunal já julgou os recursos de 11 dos 25 condenados. E manteve todas as condenações. (Págs. 1 e Política A4)
Ataque químico mata até 1,3 mil
Oposição na Síria acusa o regime de Assad por massacre; ONU vai investigar

Um ataque com gás sarin em Ghouta, reduto opositor no subúrbio de Damasco, deixou ontem entre 500 e 1,3 mil civis mortos, segundo a oposição síria. O massacre ocorreu apesar da presença no país de 20 inspetores da ONU para investigar denúncias anteriores de uso de armas químicas. A oposição e o regime do ditador Bashar Assad acusam-se pelo ataque. A Rússia sugeriu que a ação foi cometida para provocar reação internacional contra a ditadura. Para o Departamento de Estado, a “linha vermelha foi cruzada” de novo na Síria. (Págs. 1 e Internacional A11 e A12)
Serra diz que pode disputar a Presidência
O ex-governador José Serra disse que é “possível que seja candidato a presidente” e que vai disputar as prévias do PSDB com Aécio Neves. Mas exige regras claras para a abrangência da consulta, o tipo de participação e os prazos. (Págs. 1 e Política A7)
Renan compra em Brasília casa de R$ 2 milhões
Com renda de R$ 51 mil, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), comprou casa em Brasília por R$ 2 milhões, metade financiada. Segundo ele, contrato paralelo prevê sinal de R$ 240 mil e R$ 760 mil em 5 parcelas semestrais de R$ 152 mil. (Págs. 1 e Política A6)
Fonte do WikiLeaks pega 35 anos de prisão (Págs. 1 e Internacional A16)

Relator tira inovações do Código Penal (Págs. 1 e Metrópole A26)

Programa Mais Médicos terá 4 mil cubanos
O governo brasileiro importará 4 mil médicos cubanos para suprir parte das vagas do programa Mais Médicos. O primeiro grupo, de 400 profissionais, participará, a partir de segunda-feira, do primeiro período de treinamento. (Págs. 1 e Metrópole A20)
Eugênio Bucci 
A liberdade ficou no embarque

Prisão de David Miranda em Londres foi além de procedimento preventivo e não deve ser vista como um fato isolado ou “ponto fora da curva”. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Notas & Informações
O monstrengo tributário

Por insistência da presidente, um novo tributo incidirá na produção: a multa de 10% sobre o FGTS. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: As vítimas inocentes de uma guerra suja
Crianças, mulheres, idosos... As imagens de corpos amontoados pelo chão em subúrbios de Damasco, na Síria, são estarrecedores. Seriam, acusam rebeldes, pelo menos 1,3 mil mortos em ataques com armas químicas usadas pelas tropas do ditador Bashar Al-Assad contra a população civil em redutos dominados pela oposição. O governo nega. Culpa os insurgentes. Em reunião de emergência, o Conselho de Segurança da ONU defendeu uma investigação independente. Desde março de 2011, quando militares sufocaram protestos que cobravam a saída de Assad do poder, o país mergulhou numa guerra civil que já deixou mais de 100 mil mortos. Enquanto potências ocidentais, como os EUA e a União Europeia, evitam se envolver diretamente no confronto, a Rússia e a China se alinham com o regime sírio. (Págs. 1, 14 e 15)
Mais Médicos chama cubanos
O governo federal anunciou o recrutamento de 4 mil médicos cubanos para atuarem nas cidades onde os profissionais brasileiros não demonstraram interesse em trabalhar. Uma primeira leva de estrangeiros chega na próxima segunda-feira. O Conselho Federal de Medicina considerou o acordo com o regime dos Castros de "eleitoreiro” e "irresponsável”. (Págs. 1 e 5)
No olho do mensalão
Depois do ríspido bate-boca entre Barbosa e Lewandowski na última sessão, ministros retomam julgamento e saem em defesa do revisor da Ação Penal 470. Mas, na hora de votar, maioria se junta ao presidente do STF e rejeita embargos do ex-deputado Bispo Rodrigues e de mais três réus do processo. (Págs. 1, 2 e 3)
Refúgio: Brasil é esperança de peregrinos
Católicos da África e da Ásia que vieram para a jornada da juventude tentam ficar no país e escapar da perseguição religiosa. (Págs. 1 e 7)
Luz sobe 6,10% e gás,7%
O começa a valer na segunda-feira. Já para o botijão de 13kg, o aumento será a partir de setembro. (Págs. 1 e 29)
A vida real com o dólar alto
O brasileiro já sente no bolso a disparada da moeda dos EUA; do café da manhã ao jantar, tudo é afetado pelo câmbio. (Págs. 1 e 8)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Fed frustra expectativas e deixa mercado confuso
Ainda não foi desta vez. Os mercados em todo o mundo esperavam que o Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, confirmasse para setembro o início da retirada dos estímulos monetários que a instituição vem concedendo à economia americana desde 2008. Divulgada ontem, a ata da última reunião do Fed, realizada em julho, desautorizou os prognósticos e acenou para um provável início em dezembro.

O Fed se revelou mais reticente sobre a maturidade necessária das condições econômicas para o início do fim do programa de compra mensal de títulos e deixou o mercado desnorteado sobre o momento em que o fará - o que tem provocado, desde o fim de maio, grande instabilidade em todo o mundo. (Págs. 1, C1 e B10)
Vale quer 20% do mercado chinês até 2019
A Vale se prepara para vender 1 bilhão de toneladas de minério de ferro à China até 2018 ou 2019. Se a previsão for confirmada, a empresa deverá exportar em seis anos volume equivalente ao que embarcou para as siderúrgicas chinesas em quatro décadas. A previsão reforça a ideia de que, mesmo com um crescimento econômico menor, a China continuará a puxar a demanda por minério de ferro. A participação da Vale no consumo chinês é de pouco menos de 15%, cerca de 150 milhões de toneladas anuais. Essa fatia pode chegar a 20% em quatro ou cinco anos, diz José Carlos Martins, diretor-executivo de estratégia da Vale. (Págs. 1 e B1)
LAN luta para continuar no Aeroparque
O governo argentino deu prazo de dez dias para que a LAN Argentina - subsidiária do grupo chileno Latam, controlador da brasileira TAM - transfira suas operações do aeroporto Jorge Newberry (Aeroparque), sua principal área de atuação no país, para Ezeiza.

A medida beneficia a estatal Aerolíneas Argentinas, que ficaria com o monopólio da aviação de cabotagem na capital do país. O vice-presidente de assuntos institucionais da LAN, Pablo Querol, disse que a empresa poderia continuar operando na Argentina, "mas a um custo elevadíssimo". Seu contrato com o concessionário do aeroporto expira apenas em 2023. A LAN vai recorrer à Justiça e já entrou com ação cautelar pedindo a interrupção do processo até que o mérito da ação seja julgado. (Págs. 1 e B5)
Fotolegenda: Genocídio na Síria
A oposição síria acusou o regime do ditador Bashar al Assad de lançar um ataque com armas químicas na periferia de Damasco. A ação teria causado a morte de 500 a 1.300 pessoas. O Conselho de Segurança da ONU reuniu-se em caráter urgente para avaliar a situação. (Págs. 1 e A13)
Bolívia quer renegociar gás já
O governo da Bolívia pressiona o Brasil para iniciar negociações sobre a renovação do contrato de fornecimento de gás natural que expira em 2019. A venda do gás é vital para a Bolívia - o Brasil compra 75% da produção, que representa metade das exportações totais do país vizinho.

Na semana passada, o vice-ministro de Desenvolvimento Energético, Franklin Molina, disse que os dois países já estão negociando a ampliação do contrato. Mas fontes da Petrobras, estatal responsável pela parte brasileira na negociação, não confirmaram a informação. (Págs. 1 e A13)
Com empenho pessoal, Dilma garante vetos no Congresso
Ameaçado pela votação dos vetos presidenciais, o governo dobrou o Congresso e venceu o primeiro embate. Por larga margem, a presidente Dilma conseguiu, na noite de terça-feira, manter vetos considerados essenciais ao equilíbrio fiscal. O resultado se deu tanto no Senado, onde a presidente articulou pessoalmente a manutenção dos vetos, quanto na Câmara, onde o PMDB fez oposição a vetos específicos e foi derrotado.

Surtiu efeito o empenho pessoal da presidente para se aproximar de alguns senadores com função estratégica na Casa c que davam sinais de insatisfação. Ela não só se reuniu com os líderes aliados, como recebeu, pessoalmente, o presidente, Renan Calheiros (PMDB- AL), o líder do PMDB na Casa, Eunício Oliveira (CE), o líder do PTB, Gim Argello (DF), e o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM). (Págs. 1 e A9)
Emprego com carteira tem ganho real menor que trabalho informal (Págs. 1 e A3)

BB desiste de mais 25% no Votorantim
O Banco do Brasil (BB) desistiu ontem de comprar mais 25% do capital do Banco Votorantim. A decisão foi antecipada ontem pelo Valor PRO, serviço em tempo real do Valor. Desde 2009, o BB detém 50% do capital do banco e negociava ampliação desde o início deste ano. (Pág. 1)
Petrobras adia planos para etanol
A Petrobras Biocombustíveis adiou indefinidamente o plano de duplicação da usina Boa Vista, em Goiás, orçado em R$ 520 milhões, que seria a maior produtora de etanol do mundo. A decisão foi tomada diante do baixo retorno previsto para o investimento, disse Miguel Rossetto. (Págs. 1 e B14)
Mudanças no Ibovespa
A BM&FBovespa divulgou em seu site as propostas formuladas pelo grupo de trabalho que estuda alterações na metodologia do Ibovespa. A decisão sobre a mudança deve ser anunciada em 13 de setembro. (Págs. 1 e C3)
Renegociação da OGX
Detentores de cerca de metade dos bônus da OGX contrataram o banco de investimentos Rothschild para assessorá-los no processo de reestruturação das dívidas da companhia. (Págs. 1 e C12)
Proteção a marca de alto renome
O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) vai simplificar o procedimento para o reconhecimento de marcas de alto renome, que passarão a ser protegidas em todos os ramos de atividade e não apenas em sua categoria. (Págs. 1 e E1)
Encerramento de conta
Depois de quase dez anos, o Superior Tribunal de Justiça mudou seu entendimento e condenou um banco a pagar danos morais a clientes pelo encerramento de contas corrente, sem autorização ou justificativa. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Rodrigo Zeldan

Não existem mais razões externas, neste momento, que estejam influenciando a desvalorização da moeda brasileira. (Págs. 1 e A14)

Braulio Borges

Equívocos que potencializaram o surto inflacionário da virada do ano vieram da política cambial e do comércio exterior. (Págs. 1 e A15)
------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário: