PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

terça-feira, setembro 03, 2013

QUEM LÊ TANTA NOTÍCIA?

SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

O Globo

Manchete: Planalto espionado: Dilma cobra explicações e ameaça adiar visita aos EUA
Governo avisa que, se confirmada violação à soberania, levará caso a foros internacionais.

Embaixador americano é convocado ao Itamaraty; no Congresso, aliados e oposição se queixam de agressão ao Brasil, e hoje devem instalar a CPI da Espionagem.

O Itamaraty convocou o embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, e exigiu uma resposta por escrito, ainda esta semana, à denúncia de que o governo americano espionou telefonemas, e-mails e mensagens de celular da presidente Dilma e de seus auxiliares. Os ministros Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e José Eduardo Cardozo (Justiça) disseram que, dependendo das explicações, Dilma poderá suspender encontro com o presidente Barack Obama marcado para outubro, em Washington. Além disso, o Brasil está disposto a levar o assunto a foros internacionais. "O tipo de reação dependerá do tipo de resposta’, disse Figueiredo. Assessores lembraram que Dilma costuma dispensar o telefone celular criptografado à sua disposição, preferindo um aparelho comum. Entre os possíveis motivos para a espionagem estão os leilões do pré-sal e as relações brasileiras com Irã, Bolívia e Venezuela. (Págs. 1 e 3 a 5, Míriam Leitão e editorial "Extrapolação na espionagem americana")

Faxina no Congresso: Anulada sessão que livrou Donadon
Para ministro Roberto Barroso, do STF, prisão em regime fechado impede deputado de exercer o mandato até o fim.

A sessão da Câmara que livrou o deputado-presidiário Natan Donadon (sem partido-RO) da perda do mandato foi suspensa ontem por liminar do ministro Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Barroso reafirmou sua convicção de que a palavra final sobre a cassação cabe ao Congresso, mas ponderou que, no caso de Donadon, por cumprir pena em regime fechado, a decisão deveria ser tomada automaticamente pela Mesa da Casa, sem ser levada ao plenário. Essa interpretação de Barroso pode ser favorável a deputados condenados em regime semiaberto no mensalão, casos de José Genoino (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT). Ontem, a cúpula da Câmara amanheceu pichada. (Págs. 1, 6 e Merval Pereira)

Puxão de orelhas: COI reclama de atraso para Rio-2016
A cúpula do Comitê Olímpico Internacional, que ontem encerrou visita de inspeção à cidade, manifestou preocupação com atrasos na preparação do Rio para os Jogos-2016. O COI teme que a expansão do metrô até a Barra não fique pronta a tempo. O diretor executivo Gilbert Felli disse que o Brasil não pode desperdiçar essa chance. (Págs. 1,8 e Caderno Esportes)


Corpo a corpo nos EUA: Obama faz lobby para atacar Síria
O presidente dos EUA se engajou num lobby entre congressistas divididos, a fim de obter autorização para uma ação militar na Síria. Há os que questionam as provas dos EUA e os que defendem uma ofensiva mais ampla. (Págs. 1, 24 e 25)

Freio nas montadoras: Venda de carros registra queda
Após 9 anos de crescimento, a indústria automobilística teve, entre janeiro e agosto, a primeira queda no total de veículos emplacados. Foram 2,47 milhões de carros, um recuo de 1,2% sobre o mesmo período de 2012. (Págs. 1 e 17)
De olho na frota: Ônibus multados em tempo real
Cerca de 30% dos ônibus do Rio estão, desde ontem, sendo monitorados em tempo real por GPS. Com o sistema, serão multados automaticamente os coletivos que desrespeitarem itinerários e pararem fora dos pontos. (PÁGS. 1 e 9)
Caso Amarildo: Reconstituição dura 16 horas
A reconstituição do desaparecimento do pedreiro Amarildo durou 16 horas. O major Edson Santos, que deixará o comando da UPP da Rocinha, enviou carta aos PMs dizendo não ter compactuado com o tráfico. (Págs. 1 e 16)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma ameaça cancelar visita aos EUA após espionagem
Presidente vai cobrar na ONU ação internacional contra suposto monitoramento de mensagens

Irritada com a revelação de que foi alvo de monitoramento por parte da Agência Nacional de Segurança Nacional dos EUA (NSA), a presidente Dilma Rousseff ameaça cancelar a visita oficial àquele país, em outubro. Antes disso, ela usará a tribuna da Assembleia-Geral da ONU, dia 24, em Nova York, para cobrar ação internacional contra a violação de telefonemas e correspondências eletrônicas. A presidente cogita até mesmo chamar o embaixador brasileiro nos EUA, Mauro Vieira, caso Barack Obama não dê “explicações convincentes” nem se desculpe pela espionagem. Tanto o cancelamento da visita aos EUA como a retirada do embaixador representariam uma crise diplomática sem precedentes. Dilma ainda avalia a conveniência desses gestos. Ela levará o assunto à reunião do G-20, quinta e sexta-feira, na Rússia, e ao encontro dos Brics, fórum formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. (Págs. 1 e Política A6)

Brasil cobra embaixador

O embaixador dos EUA, Thomas Shannon, foi convocado pelo Brasil a dar explicações sobre a espionagem. Os EUA dizem que Washington responderá a seus "parceiros e aliados" por meio de canais diplomáticos. (Págs. 1 e A6)

Ministro do STF suspende sessão que manteve Donadon
O ministro do STF Luís Roberto Barroso concedeu liminar suspendendo os efeitos da sessão da Câmara que manteve o mandato do deputado Natan Donadon (sem partido-RO), preso em Brasília. O ministro suspendeu os efeitos da absolvição por entender que neste caso caberia à Mesa Diretora apenas decretar a perda de mandato. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), vai aguardar uma posição do pleno da Corte para definir qual decisão será tomada, mas manteve o afastamento de Donadon. Barroso é um dos ministros que defendem ser da Câmara a prerrogativa de decidir sobre mandatos em casos de condenações criminais, mas argumentou que neste caso não haveria a possibilidade de absolvição. Donadon foi condenado a 13 anos, 4 meses e 10 dias de prisão e permanecerá pelo menos mais 26 meses preso. Seu mandato, no entanto, termina em 17 meses. (Págs. 1 e Política A4)

Dora Kramer

A tendência do Congresso de atear fogo às próprias vestes continua sem explicação convincente. (Págs. 1 e A6)

Médicos não aparecem em metade das cidades paulistas
Dos 22 municípios paulistas que aguardavam brasileiros na primeira fase do programa Mais Médicos, pelo menos 12 registraram ontem - primeiro dia oficial de trabalho - desistências ou faltas. O governo não quis comentar um possível boicote da categoria. No Realengo, na zona oeste do Rio, equipe comemorou chegada de bolsista. (Págs. 1 e Metrópole A11 e A12)
Refugiados: Sírios fogem e criam favelas
Com a proibição do Líbano à construção de campos de refugiados sírios, a população que foge da guerra se abriga nas periferias, formando favelas. Na cidade comida e o saneamento básico inexiste, já foram erguidos 300 barracos, relata o enviado especial Lourival Sant’Anna. (Págs. 1 e Internacional A9)
Obama busca voto de parlamentares
Presidente americano dá início a ofensiva para conquistar apoio dos congressistas e deflagrar ação militar com o objetivo de derrubar o regime de Bashar Assad. (Págs. 1 e A8)
BNDES já banca 20% do investimento no País
Os R$ 88,3 bilhões em empréstimos liberados de janeiro a junho pelo BNDES representam 20,6% dos investimentos totais na economia do País, ante 13,7% em todo o ano 2012, um recorde, mostra estudo feito pelo Ibre/FGV a pedido do Estado. Para o governo, trata-se de ação para garantir crescimento. Economistas, porém, criticam os custos elevados da estratégia. (Págs. 1 e Economia B1)
Balança tem maior déficit em 18 anos
A balança comercial registrou, nos primeiros oito meses do ano, o pior resultado em 18 anos. O rombo verificado no período foi de US$ 3,8 bilhões. (Págs. 1 e Economia B5)
Turbulência em voo da TAM deixa 15 feridos (Págs. 1 e Metrópole A14)

Cabral apoia projeto que veta mascarados (Págs. 1 e Metrópole A13)

José Paulo Kupfer 
Surpresas e erros

Quando a realidade surpreende especialistas, deveria ser hora de refletir. Erros, nome mais adequado para “surpresas”, não são sem consequências. (Págs. 1 e Economia B6)

Anatol Lieven
Ataque Damasco, fale com o Irã

Os EUA não querem que nenhum lado vença essa guerra. A vitória de qualquer um significaria massacres pavorosos e ameaça de terrorismo. (Págs. 1 e Visão Global A9)

Notas & Informações
Um fraco sopro de otimismo

O PIB do segundo trimestre é positivo, mas economistas têm dúvidas sobre o futuro. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Ministro do STF condena cela VIP para mensaleiro
Um centro de cumprimento de pena em regime semiaberto está sendo reformado no SIA, ao custo de R$ 3,3 milhões, para abrigar presos ilustres, como os deputados condenados no processo do mensalão. "Político não merece tratamento preferencial. O tratamento deve ser igualitário para todos os cidadãos", indigna-se o ministro Marco Aurélio Mello, do STF. Não é o único. Ao ler o Correio, ontem, o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, disse a interlocutores que, uma vez confirmada a punição, determinará onde os réus cumprirão a sentença. (Págs. 1 e 2)

Supremo anula decisão da Câmara que salvou Donadon
Cúpula do Congresso amanhece pichada em repúdio à votação na qual deputados livraram da cassação 0 colega presidiário Natan Donadon, condenado a 13 anos de cadeia. A manobra sofreu ontem o primeiro revés: foi suspensa pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo, até votação definitiva do caso pelo plenário da Corte. (Págs.1, 4 e Visão do Correio 12)

Pré-sal pagará R$ 52 mil por mês a diretor (Págs. 1 e 10)

Dois meses depois...
Exatos 64 dias após a conquista da Copa das Confederações, a presidente Dilma recebe comissão técnica do Brasil e a taça do torneio. Seleção Brasileira mais patrocinada de todos os tempos desembarcou ontem na capital. (Págs. 1 e Superesportes 2 a 4)
Médico suspeito atua no Entorno
Ex-deputado-federal, Carlos Mansilla trabalha em Águas lindas (GO) pelo programa Mais Médicos. Ele tem o registro no CRM-AM suspenso e responde a 15 inquéritos por erros em cirurgias. (Págs. 1 e 6)
Brasil cobra dos EUA explicação sobre espionagem
Depois de uma série de reuniões de emergência, o governo brasileiro fez uma exigência ao embaixador americano, Thomas Shannon: disse esperar, por escrito, ainda nesta semana, uma resposta “satisfatória” de Washington sobre as denúncias de interceptação de telefonemas, mensagens de celular e e-mails da presidente Dilma Rousseff. O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, afirmou que, se confirmada, a espionagem configura uma “violação inaceitável” da soberania nacional. (Págs. 1 e 14)
Obama faz campanha pela guerra
Para convencer o Congresso a apoiar o ataque à Síria, o presidente dos EUA aborda pessoalmente os parlamentares. Oposicionistas querem ação militar mais ampla. (Págs. 1 e 15)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Governo prepara extinção de ganho fiscal em fusões
Pressionado pela baixa arrecadação dos últimos meses, o governo deve acelerar uma medida provisória para endurecer a cobrança de tributos em fusões e aquisições entre empresas, tirando da gaveta proposta que adormecia no Ministério da Fazenda desde o ano passado. Uma primeira versão do texto já foi discutida com o Planalto, que pediu ajustes. O assunto ainda será submetido à presidente Dilma Rousseff.

A regra atual permite que o valor pago como ágio na compra de uma empresa por outra seja abatido do Imposto de Renda (IR) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) entre cinco e dez anos. Esse mecanismo existe desde a segunda metade dos anos 90 e foi criado para atrair concorrentes à privatização do sistema de telefonia. (Págs. 1 e A4)


Força-tarefa 'vende' leilão de ferrovias
O governo pôs em prática uma força-tarefa para buscar potenciais interessados estrangeiros em participar dos leilões de ferrovias, especialmente na China e na Rússia. A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse ao Valor que na próxima semana virá ao país uma missão da China Railway, interessada no primeiro trecho a ser leiloado, de Açailândia (MA) a Barcarena (PA), em outubro. Bernardo Figueiredo, presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), está na Rússia. A tentativa de atrair novos investidores se mostra necessária porque há receio sobre o modelo de concessão proposto pelo Planalto.
(Págs. 1 e B6)

Postalis apoia concorrente da BM&FBovespa
A Postalis, fundo de pensão dos funcionários dos Correios, vai financiar parte dos investimentos para a criação de uma câmara de compensação da bolsa de valores que pretende competir com a BM&FBovespa. A Postalis já é sócia no projeto da nova bolsa, a ser criada pela Americas Trading Group (ATG), formada por ex-sócios da Ágora Corretora.

O investimento do fundo de pensão será feito por meio de uma operação complexa, que envolve a emissão de debêntures no valor de R$ 72 milhões. Os recursos foram usados para capitalizar a empresa de consultoria Risk Office, que será sócia da ATG na "clearing". As debêntures foram emitidas por uma empresa chamada RO Participações, que pertence a Arthur Pinheiro Machado, um dos sócios da ATG. (Págs. 1 e C1)

Compasso de espera
Antes de novos investimentos no Brasil, o grupo colombiano ISA, controlador da Cteep, exige indenização pela renovação antecipada de suas linhas de transmissão, diz Luis Alarcón. (Págs. 1 e B5)
G-20 propõe ajuda a quem empregar jovens
Empresas que derem emprego a jovens poderão receber subsídios para pagar parte dos salários. Esta é uma das promessas que as maiores economias desenvolvidas e emergentes, que formam o G-20, farão nesta semana durante reunião em São Petersburgo.

Os países que representam mais de 80% da produção mundial vão declarar "prioridade mundial" à criação de emprego para os jovens, que têm três vezes mais probabilidade de estar sem trabalho do que os adultos, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). (Págs. 1 e A11)

Degradação ambiental prejudica o rio Doce
A degradação ambiental afeta profundamente uma das bacias hidrográficas mais importantes do Brasil, a do rio Doce, em Minas Gerais e Espírito Santo. Por falta de vazão suficiente para girar as turbinas, a Cemig e a Vale estão desligando duas hidrelétricas na região - Aimorés e Porto Estrela (que também é da Coteminas) - em certos horários.

Também por falta de água, em Governador Valadares (MG) a produtividade do gado foi reduzida da média histórica de quatro cabeças por hectare para menos de 0,5 cabeça. No Espírito Santo, há áreas em que a demanda por água é de 10% a 60% superior à disponível. (Págs. 1 e A14)

Kirin Brasil investe em expansão
No que depender da controladora e do BNDES, não vai faltar dinheiro para a Brasil Kirin (ex-Schincariol) prosseguir com seus planos de expansão no país, apesar de o consumo de cervejas ter perdido ímpeto neste ano.

A holding japonesa, além de abrir mão da remessa de dividendos do ano passado, está disposta a aportar capital quando necessário para que a Brasil Kirin invista na operação, disse Fábio Marchiori, vice-presidente financeiro no país. A empresa está neste ano fechando contratos - com fornecedores de máquinas, por exemplo - no valor de R$ 500 milhões para expansão de capacidade, compra de equipamentos e automação, sem desembolso imediato de caixa. Para 2014, estão previstos mais R$ 500 milhões. (Págs. 1 e B4)

Dispersão desenvolvimentista
Pela primeira vez, projetos financiados pelos fundos de desenvolvimento regional do Nordeste, Norte e Centro-Oeste chegaram a todos os municípios dessas regiões em 2012, no valor total de R$22,1 bilhões. (Págs. 1 e A4)
SLC ajuste perfil dos negócios
A SLC Agrícola, uma das maiores companhias agrícolas do país, vai acelerar seu crescimento por meio de arrendamentos e joint ventures com proprietários de terras. A intenção é, até 2015, equilibrar a proporção entre terras próprias e de terceiros. (Págs. 1 e B12)
Banco muda comissão de 'pastinha'
Os bancos modificaram a forma de pagamento dos correspondentes bancários na migração de empréstimos consignados de uma instituição para outra. A comissão passará a ser paga apenas sobre o excedente da operação original. (Págs. 1 e C14)
Postura defensiva
Carteira Valor de ações registra alta de 6,5% em agosto e acumula ganho de 21,4% em 12 meses, enquanto o Ibovespa subiu 3,7% no mês passado e registra queda de 12,4% em 12 meses. As recomendações para setembro reforçam o viés defensivo. (Págs. 1 e Dl e D2)
Planos de saúde X SUS
Enquanto aguardam decisão final sobre a obrigação de ressarcir o SUS por serviços prestados a seus segurados, planos de saúde obtêm na Justiça o reconhecimento da prescrição dos débitos. (Págs. 1 e El)
Tempo de serviço rural
Superior Tribunal de Justiça (S1J) aceitou a possibilidade de reconhecer período de trabalho rural anterior ao documento mais antigo juntado aos autos, baseado em prova testemunhai para efeito previdenciário. (Págs. 1 e El)
Ideias
Delfim Netto

O real foi a moeda que mais se valorizou nos últimos anos, nos quais não aproveitamos para fazer as reformas que deveríamos. (Págs. 1 e A2)

Luiz Gonzaga Belluzzo

Sob o acicate das crenças liberalóides, Congresso, Fed, SEC e ‘tutti quanti’ se juntaram para promover o desastre. (Págs. 1 e A13)

Fundo de investimento suíço deve assumir o Hotel Glória (Págs. 1 e B4)

Em uma Ásia enfraquecida, a indústria da China se levanta (Págs. 1 e B9)

------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------

Nenhum comentário: