PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

segunda-feira, novembro 04, 2013

QUEM LÊ TANTA NOTÍCIA?

SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

04 de novembro de 2013

O Globo

Manchete: Rio sem a perimetral
Tempo de viagem até o Centro sobe mais de 30%

Elevado começa a ser demolido; prefeitura recomenda uso de transporte público

Dois trechos de 40 metros das pistas da via expressa já foram ao chão; barcas, metrô e trens anunciaram esquema especial para atender aumento da demanda; presidente do Detro critica Paes e diz que tráfego ficará um caos hoje

Dois trechos de 40 metros das pistas da Perimetral foram demolidos no fim de semana. A prefeitura estima que, sem o elevado, o tempo de percurso de quem passa pela Região Portuária para chegar ao Centro vai aumentar 30%, mas a situação deve ser ainda pior hoje. A recomendação é que as pessoas optem pelo transporte público. O presidente do Detro, Rogério Onofre, criticou o prefeito Eduardo Paes e previu um nó no trânsito. (Págs. 1, 7 e 8)

As rotas alternativas para escapar do caos

A opção para quem vai para o Centro pela Avenida Brasil é fugir por São Cristóvão. De Niterói, o motorista pode pegar a Avenida Brasil e fazer retomo em Benfica. (Págs. 1, 8 e 9)
Lei Fiscal é alvo de novo ataque
Criada para dar limites a gastos públicos, a Lei de Responsabilidade Fiscal sofreu novo ataque na renegociação da dívida de estados e municípios, aprovada pela Câmara. Desde sua criação, em 2000, já foram seis manobras contra a lei. (Págs. 1 e 17)
Supostos confrontos: Investigação sobre mortes emperra
Mesmo com uma das polícias que mais matam no mundo, o Brasil ainda tem mecanismos frágeis de controle interno e externo da corporação — o que emperra investigações de crimes cometidos por policiais. Nas corregedorias, faltam infraestrutura, autonomia para os servidores e formação especializada. (Págs. 1 e 3)

Comandante da eleição: Doações são quase extorsão, diz Toffoli
Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que presidirá a Corte durante as eleições de 2014, Dias Toffoli defende a proibição de doações de empresas a candidatos. E diz que métodos de arrecadação são “quase extorsão”. (Págs. 1 e 4)

Mursi deposto: Julgamento põe Egito em alerta
Previsto para hoje, o julgamento do presidente deposto e escondido desde julho pode provocar nova onda de protestos e mortes. Ontem o secretário de Estado americano, John Kerry, desembarcou no país. (Págs. 1 e 21)

Espionagem: Ex-agente da CIA pede limite legal
Em carta divulgada ontem, Edward Snowden disse que a espionagem prejudica as sociedades democráticas e cobrou a definição de limites legais. No Twitter, a presidente Dilma voltou a defender que a ONU discuta o tema. (Págs. 1 e 22)

Propina do ISS: Sexto suspeito será afastado em SP
Em meio às investigações sobre desvios do ISS, mais um fiscal deverá ser afastado hoje pela prefeitura de São Paulo. Sexto envolvido no esquema, seria o mentor do grupo que cobrava propina de construtoras. (Págs. 1 e 5)

Colunistas
Ricardo Noblat: Temos certa queda para crer em símbolos duvidosos. (Págs. 1 e 2)

George Vidor: A OGX só tem uma chance de sobreviver voltando a produzir petróleo. (Págs. 1 e 18)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Por discurso ambiental, Dilma prepara ação pró-índio
Engavetado há anos, fundo de compensação volta à agenda para fazer frente a críticas de Marina Silva

Para tentar reforçar o discurso ambiental no embate com a ex-ministra Marina Silva, a presidente Dilma Rousseff quer tirar da gaveta a criação de um fundo de compensação para índios que vivem em áreas próximas a hidrelétricas previstas no plano de energia. O Planalto estuda ainda regulamentar um artigo da Constituição que obriga o poder público a consultar comunidades indígenas antes de operar as usinas, informa João Villaverde. As medidas estavam paradas há quase 11 anos. Crítica da política de desenvolvimento do País, Marina se aliou ao projeto presidencial do governador Eduardo Campos (PSB) e pode disputar a eleição de 2014 como vice do pernambucano. Pelos estudos do governo, o fundo seria criado com dinheiro de compensação paga por empresas que exploram as hidrelétricas. Só entre janeiro e setembro, foi repassado R$$ 1,3 bilhão de compensação. (Págs. 1 e Política A4)

Campanha

O primeiro ponto programático da aliança entre Eduardo Campos e Marina Silva está decidido. O PSB vai defender uma reforma urbana com foco prioritário em "cidade sustentável". (Págs. 1 e A5)
Ex-corregedor pôs sob suspeita bens de fiscal
O então corregedor da gestão Gilberto Kassab (PSD), Edilson Mougenot Bonfim, disse ontem que tinha suspeitas sobre os bens acumulados pelo ex-subsecretário de arrecadação Ronilson Bezerra Rodrigues. Preso na última quarta, Rodrigues é apontado como chefe do esquema de fraude na cobrança de ISS na Prefeitura de São Paulo. O ex-corregedor disse que desconfiou do “contorcionismo que Rodrigues fazia para explicar o patrimônio”. Ele conduziu apuração separada da que o ex-secretário Mauro Ricardo mandou arquivar. (Págs. 1 e Metrópole A11)
‘Privacidade na web é uma ilusão’
Entrevista: James Lewis
Diretor do Centro Internacional de Estudos Estratégicos (CSIS)

Em entrevista ao Link, James Lewis, que já liderou a produção de uma série de relatórios sobre segurança na internet para o presidente americano Barack Obama, diz que é impossível evitar o monitoramento na rede. (Págs. 1 e Economia B11)

Snowden divulga manifesto

Ex-agente da NSA diz que as propostas de reforma de serviços secretos indicam que suas revelações foram justificadas. (Págs. 1 e Internacional A8)
Negócios: Pressão contra ALL
Concessionária de quase metade da malha ferroviária do País, ALL é questionada por não cumprir contrato com a transportadora Rumo.A ALL acusa a empresa de lhe impor um contrato escorchante. Já a Rumo diz que ex-parceira quer fugir de obrigações contratuais. (Págs. 1 e B1)

Nióbio. Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração tem reserva para 200 anos avaliada em US$ 13 bi. Metal é misturado ao aço para fabricar automóveis. (Págs. 1 e B3)
Contra parecer, governo manda pagar estudo
Documentos obtidos pelo Estado mostram que a Secretaria de Portos contrariou suas regras ao mandar pagar R$ 2,87 milhões a estudos da Estruturadora Brasileira de Projetos (EBP) para áreas já em operação no Porto de Santos. (Págs. 1 e Economia B7)
Paquistão ameaça rever relações com os EUA
O governo paquistanês afirmou ontem que pode rever relações com os EUA após a morte do líder do Taleban, Hakimullah Mehsud, em ataque com drone na sexta-feira. Mehsud tinha a cabeça posta a prêmio por US$ 5 milhões pelos americanos. (Págs. 1 e Internacional A8)
Sul: O salto do PIB agrícola
A agropecuária da região cresce 20% em 2013. Mas atraso em obras de infraestrutura dificultam competitividade. (Págs. 1 e Caderno especial)
ABL entra no processo de censura de biografias (Págs. 1 e Caderno 2, C8)

José Roberto de Toledo 
Desordem e regresso

O Brasil foi o país onde a percepção de progresso mais regrediu no continente, segundo o Latinobarômetro: menos 19 pontos de 2011 para 2013. (Págs. 1 e Política A6)
Denis Lerrer Rosenfield 
O uso político da violência

A ação dos ditos “vândalos” passou a ter protagonismo e manifestantes autônomos e indignados não mais se reconheceram naqueles mascarados. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Notas & Informações
Governo versus Petrobrás

Continua em risco saúde financeira da Petrobrás, enquanto governo faz suspense sobre política de preço. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Crise das seguradoras ameaça o consumidor
Atualmente, 136 seguradoras estão em processo de falência ou já falidas — a maioria delas da área de saúde. Outras dezenas acusam regime fiscal, claro indício de desequilíbrio financeiro. O perigo é evidente: a derrocada dessas operadoras arrasta consigo as economias de milhares de usuários, que vão ficar a ver navios. Diante desse quadro assustador, os clientes devem pesquisar muito antes de fechar contratos. Outra atitude importante é monitorar os passos das empresas perante os órgãos reguladores. (Págs. 1 e 7)
Dilma cobra dos aliados um 2014 mais austero
A reunião de hoje com os líderes da base na Câmara tem um objetivo: evitar aumento de despesas da União. Em ano eleitoral, a meta não é simples. Os agentes de saúde, por exemplo, pressionam por reajuste. (Págs. 1 e 3)
Eleições: Caciques nacionais na sucessão local
De olho no eleitorado do DF, Marina Silva, Eduardo Campos, Lula, Dilma e Aécio Neves declaram apoio e aparecem com maior frequência ao lado dos pré-candidatos ao Buriti. (Págs. 1 e 17)
Outro deputado distrital enrolado com emendas
A Polícia Civil investiga o mau uso de verba destinada por Wellington Luiz (PMDB) a um programa educativo no Varjão. Na semana passada, Raad Massouh foi cassado por um episódio semelhante. (Págs. 1 e 18)
Crítica de Caê ao Rei expõe racha do Procure Saber (Págs. 1 e 6)

Esplanada azul é alerta pela saúde masculina (Págs. 1 e 21)

------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------

Nenhum comentário: