PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

terça-feira, janeiro 21, 2014

MARANHÃO: SELVA DE PEDRINHAS


Presídio de Pedrinhas registra a terceira morte em janeiro


Um preso foi encontrado morto na manhã desta terça-feira (21) no CCPJ, um dos presídios do complexo penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, no Maranhão. É a terceira morte apenas neste mês e a 63ª desde 2013.

Os casos de assassinatos em Pedrinhas, com decapitações e esquartejamentos, fizeram o Estado, governado por Roseana Sarney (PMDB), registrar a pior crise do sistema carcerário dos últimos anos. Os crimes são denunciados como violação dos direitos humanos por organismos internacionais, que cobram uma solução do governo brasileiro.

A Força Nacional está no Maranhão desde o mês passado e os governos federal e estadual elaboraram, às pressas, um plano contra o caos do sistema carcerário.
Segundo a Sejap (Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária), o detento Jô de Souza Nojosa morreu por enforcamento com uma "teresa", espécie de corda improvisada encontrada nas cadeias.
O governo ainda não sabe as causas da morte. Uma equipe do Icrim (Instituto de Criminalística) se deslocou a Pedrinhas para apurar as circunstâncias do enforcamento.
A suspeita de agentes penitenciários é que se trata de um assassinato, já que em uma cela lotada seria praticamente impossível um suicídio sem que a atitude não fosse notada.

Jô Nojosa morreu um dia depois da transferência dos primeiros presos a uma penitenciária de segurança máxima, conforme pedido do governo do Maranhão ao Ministério da Justiça. 

Nenhum comentário: