PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

terça-feira, abril 29, 2014

ELEIÇÕES 2014: O PT NA BALANÇA


Atualizado: 29/04/2014 11:27 | Por estadao.com.br

Chance de 2º turno aumenta em 2014, diz pesquisa CNT/MDA

Levantamento mostra queda nas intenções de voto em Dilma e avanço dos dois principais adversários

Brasília - 

A presidente Dilma Rousseff perdeu seis pontos porcentuais nas intenções de voto para presidente entre fevereiro e abril, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), realizada em parceria com a MDA e divulgada nesta terça-feira, 29. É o terceiro levantamento que mostra queda da petista. A pesquisa também aponta uma maior chance de realização de segundo turno em outubro. No cenário que mede a intenção de voto estimulada (os nomes são apresentados aos entrevistados) apenas com os três principais nomes da disputa, a presidente aparece com 37% da preferência do eleitorado, abaixo dos 43,7% obtidos em fevereiro. 

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), tem 21,6% das intenções de voto, frente a 17% no início deste ano. O ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), soma 11,8%, variação positiva de pouco menos de dois pontos porcentuais em relação a fevereiro, portanto, dentro da margem de erro do levantamento. Brancos e nulos chegam em 20% e o porcentual dos que não sabem ou não responderam atingiu a 9,6%.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, entre os dias 21 e 25 de abril. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-00086-2014.
De acordo com a CNT, os resultados mostram crescimento de Aécio e de Campos, que passam a "capitalizar votos que a presidente Dilma vem perdendo". Para a confederação, isso aumenta a possibilidade de um segundo turno nas eleições presidenciais deste ano. Isso porque, no cenário em que são incluídos pré-candidatos de partidos nanicos, a vantagem da petista em relação à soma dos adversários.
O levantamento CNT/MDA também testou cenários com os chamados candidatos nanicos. Quando entram na disputa José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL), Dilma soma 36,5% das intenções de voto, frente a 21,5% de Aécio e 11,2% de Campos. Os dois oposicionistas e os nanicos somam 34,1%. Essa diferença de 2,4 pontos é praticamente igual à margem de erro da pesquisa.
Num outro cenário testado, em que figuram como candidatos Magno Malta (PR) e Pastor Everaldo (PSC), Dilma aparece com 36,4% das intenções de voto, seguida por Aécio (21,2%) e Campos (11,1%). Malta soma 0,6% das intenções de voto e Everaldo, 0,4%. Nesse caso, a vantagem da presidente em relação à soma dos adversários, 34,4%, cai para 2 pontos.

Segundo turno. Segundo a pesquisa divulgada nesta terça, Dilma venceria Aécio e Campos em um eventual segundo turno, caso as eleições fossem hoje. No entanto, a margem de vantagem da petista em relação a seus principais adversários diminuiu em comparação com fevereiro.

Na atual edição do levantamento, a presidente chega a 39,2% das intenções de voto num segundo turno contra Aécio, que tem 29,3%. Em fevereiro, o resultado era 46,6% contra 23,4%.
O mesmo se observa quando o cenário medido para o segundo turno é entre Dilma e Campos. A presidente tem 41,3% das intenções de voto, contra 24% do ex-governador. Em fevereiro, Dilma batia Campos por 48,6% a 18%.
A pesquisa CNT/MDA também avaliou uma eventual disputa entre Aécio e Campos no segundo turno. Nesse quadro, o tucano surge com 31,3% das intenções de voto e Campos, com 20,1%. Em fevereiro, o confronto entre os dois principais nomes da oposição no segundo turno tinha 31,6% das intenções de voto para Aécio e 16,9% para o ex-governador de Pernambuco.



***********

Coro 'Volta, Lula' não me preocupa, diz Dilma

'Sei da lealdade dele a mim', afirmou a presidente a jornalistas de Esportes em jantar no Palácio da Alvorada nessa segunda-feira
Coro 'Volta, Lula' não me preocupa, diz Dilma
"A presidente não se manifestou sobre declarações do deputado federal Bernardo Santana (PR-MG)"
Brasília - A presidente Dilma Rousseff diz que não se preocupa com o movimento "volta, Lula", que ganha força na base aliada do governo, por acreditar na lealdade do ex-presidente. Diz que convive com Lula desde 2000 e está com ele todos os dias desde 27 de abril de 2005 quando assumiu a Casa Civil e tem total confiança no líder petista. Dilma avaliou também que a Copa do Mundo não deve ter efeito na sua reeleição e as recentes pesquisas de intenção de voto são importantes, mas não decidem a eleição.

"Ninguém vai me separar do Lula nem ele vai se separar de mim. Sei da lealdade dele a mim e ele da minha lealdade a ele. Conheço o Lula desde 2000 e tenho uma convivência direta com ele desde 27 de abril de 2005", disse Dilma a um grupo de jornalistas de Esportes dos principais jornais e redes de TV, nesta segunda-feira à noite, no Palácio Alvorada, em Brasília.

A presidente não se manifestou a respeito das declarações do deputado federal Bernardo Santana (PR-MG), da base aliada do governo, que encampou o movimento "volta, Lula" pedindo a troca de Dilma pelo ex-presidente nas eleições presidenciais em outubro.
Dilma diz que a liderança dela nas recentes pesquisas de intenção de voto, apesar da queda, não é decisiva para vencer as eleições e garante que na hora de votar a população vai ver se ela, Dilma, é importante para o futuro de cada um.

"As pesquisas são importantes, mas na hora de votar as pessoas vão levar em consideração se sou importante ou não para o futuro delas, se a vida delas vai melhorar se eu for eleita. É isso que está em jogo".

A presidente também avaliou que a Copa do Mundo não deve ter efeito direto na sua reeleição, com o Brasil campeão ou não. "Não acho que a Copa vai decidir minha eleição. Não vai me ajudar, nem me prejudicar. O Brasil pode ser campeão e eu perder a eleição, o Brasil pode perder a Copa e eu ser reeleita. Não acho que uma coisa está ligada a outra. Agora, não tenham dúvida de que eu vou torcer muito para o Brasil ser campeão. Todos nós, seja de que partido for, queremos ver o Brasil campeão".

************

Nenhum comentário: