PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

terça-feira, abril 22, 2014

PIB MAQUILADO; MUTILADO

22/04/2014
IBGE volta a revisar cálculo do PIB, que deve ter salto


Instituto incorporará no índice novos dados da indústria; expectativa é que mudança aumente crescimento de 2013 e 2014
Alteração ocorre seis meses depois da inclusão da pesquisa de serviços, que também melhorou resultado

MARIANA CARNEIRO DE SÃO PAULO

O IBGE fará a segunda revisão no cálculo do PIB em menos de um ano, o que poderá aumentar o crescimento da economia de 2013 e de 2014.
A mudança servirá para incorporar os novos dados da produção industrial, que serão divulgados em 15 dias e que devem mostrar um retrato mais positivo do setor, segundo preveem economistas.

A inclusão ocorre seis meses após o PIB ter absorvido dados lançados em 2013 sobre o setor de serviços.

Além de alterar o crescimento de 2013 --quando o PIB variou 2,3%--, a novidade pode contribuir para um resultado mais positivo neste ano, cuja previsão central dos analistas é de alta de 1,7%.
Economistas só esperam a divulgação da nova pesquisa da indústria para refazer estimativas para o PIB.

No IBGE, técnicos já admitem impacto no PIB de 2013, mas evitam falar "se para cima ou para baixo".

O instituto ainda não concluiu a pesquisa industrial e informou ao mercado que mesmo as informações técnicas só serão detalhadas no dia da divulgação, 7 de maio.

A interlocutores técnicos do IBGE dizem que a incorporação imediata da nova pesquisa ao PIB blinda o instituto de eventuais críticas, caso o crescimento seja fraco.
No final de 2012, o ministro Guido Mantega (Fazenda), insatisfeito com o PIB do terceiro trimestre, disse que pediria ao instituto que revisse os dados do sistema financeiro, cujo desempenho negativo surpreendeu analistas e governo.
Pouco antes da inclusão da pesquisa dos serviços, em 2013, Dilma Rousseff afirmou que esperava aumento no crescimento e que o PIB estava subestimado. O resultado ficou maior, mas aquém do previsto: o PIB de 2012 subiu de 0,9% para 1%. O de 2013 quase não se mexeu.

POLÊMICA

A mudança ocorre em meio à polêmica sobre o adiamento da divulgação de pesquisa mais abrangente sobre o desemprego, a Pnad Contínua, que causou protestos por parte de técnicos do IBGE.

A direção do instituto diz que alterou o cronograma para analisar metodologia do cálculo de rendimento, de forma a não influenciar o Fundo de Participação dos Estados, após pedido de senadores.

A Pnad Contínua apontou desemprego médio de 7,1% em 2013, ante 5,4% na pesquisa tradicional, feita em seis regiões metropolitanas.

BANCOS DE COURO

Se o retrato da indústria é novo, o PIB ainda mantém parâmetros antigos, com base na realidade de 2009. Uma mudança completa do índice está prevista para o início de 2015. Seria no fim deste ano, mas, segundo Roberto Olinto, coordenador de contas nacionais do IBGE, o trabalho só ficará pronto em 2015.
Para incorporar a nova indústria ao PIB antigo, o IBGE terá de fazer adaptações estatísticas --que terão vida curta e só serão usadas neste ano.
Evitar essas adaptações e esperar o novo PIB não seria possível, segundo Olinto.
"Não fui eu que decidi esse cronograma. A pesquisa [da indústria] ficou pronta, eu tenho que incorporar."
Para ele, o PIB tem de ser a melhor medição possível a cada momento e não se trata de injetar combustível aditivado num carro: "Talvez esteja mais para um banco de couro".


adicionada no sistema em: 22/04/2014 02:37

Nenhum comentário: