PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

quarta-feira, maio 21, 2014

CUBA: ´BLOGUE, PERO NO LIBRE´


Site de notícias de blogueira cubana é atacado logo depois de ser lançado

Jornal digital da colunista do Estado, Yoani Sánchez, foi redirecionado para outro endereço

21 de maio de 2014 | 14h 56

O Estado de S. Paulo
HAVANA - Logo depois que entrou no ar, na terça-feira, 20, o site noticioso 14 y Medio da blogueira cubana e colunista do Estado, Yoani Sánchez, foi redirecionado para outro endereço. A própria Yoani denunciou o ataque em sua conta no Twitter: "Nascemos e já temos nosso primeiro ataque em redes digitais de Cuba, com a url http://14ymedio.comsendo redirecionada para outro endereço".
Primeira página do site de Yoani Sánchez - Alejandro Ernesto / EFE
Alejandro Ernesto / EFE
Primeira página do site de Yoani Sánchez
No início desta quarta-feira, 21, era possível entrar no jornal digital da blogueira, mas depois o internauta era levado a uma página chamada Yoanislândia(https://www.yoanislandia.com). "Este é um site de um grupo de pessoas cansadas de ver Yoani Sánchez se apresentar como Madre Teresa de Calcuta dos dissidentes cubanos e o ciberfetiche da vez, enquanto esconde suas ambições políticas e econômicas", escreveram.
"Essa página existe faz tempo", disse à agência AP o blogueiro cubano M.H. Lagarde, com posições mais próximas ao governo e cujos textos denunciando Yoani aparecem noYoanislândia. Lagarde disse desconhecer os responsáveis pelo site, mas indicou que o artigo foi tirado de sua página assim como quase todos os que estão ali.
"14ymedio é fruto da evolução de uma aventura pessoal que se transformou em um projeto coletivo”, afirma na apresentação o site da blogueira cubana que entrou no ar às 8h05 locais (9h05 de Brasília), segundo correspondentes da AFP em Havana.
A primeira edição inclui uma reportagem sobre a violência noturna em Havana e uma entrevista com o escritor opositor Ángel Santiesteban, preso sob acusações de violência intrafamiliar, assim como uma carta de 28 personalidades de todo o mundo, incluindo o Prêmio Nobel de Literatura peruano Mario Vargas Llosa e o ex-presidente polonês e Nobel da Paz Lech Walesa, para que o governo "respeite o direito" de existência do portal.
"Quando se realiza um projeto que foi desejado por muito tempo, vem a sensação de que devemos traçar novas metas. 14ymedio.com foi minha obsessão por mais de quatro anos", escreveu Sánchez em um artigo publicado no site.
"Hoje alcancei um sonho, um espaço jornalístico no qual muitos colegas me acompanham. Nasce com o desejo de chegar a muitos leitores dentro e fora de Cuba, de oferecer um espectro completo de notícias, colunas de opinião e dados sobre a realidade de nossa Ilha. Dará muito trabalho, não há dúvidas."
O nome do jornal é em homenagem ao ano em que foi criado e ao andar do apartamento onde Yoani vive. A equipe editorial é dirigida por seu marido, Reinaldo Escobar e inclui outros profissionais. Além de dois jornalistas, há um dentista, um engenheiro civil, entre outros. De acordo com Yoani, eles não serão pagos pelo trabalho.
A publicação não tem uma redação em Havana ou conexão de e-mail. Os jornalistas vão usar mensagens de texto de telefones celulares. As histórias serão enviados para a internet através de acesso sem fio a partir de hotéis e locais públicos. / AP, AFP e REUTERS

Nenhum comentário: