PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

segunda-feira, fevereiro 02, 2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS E CUNHA



02/02/2015

Câmara elege Cunha e derrota Dilma

Considerado um aliado pouco confiável, ele teve 267 votos, contra 136 do PT

Novo presidente deverá ser alvo de inquérito no STF no caso da Lava Jato, que apura corrupção na Petrobras

DE BRASÍLIA

O governo Dilma Rousseff sofreu uma derrota histórica neste domingo (1º) com a eleição em primeiro turno do peemedebista Eduardo Cunha (RJ), 56, para a presidência da Câmara dos Deputados.

Considerado um aliado pouco confiável, já que liderou rebelião contra Dilma em 2014, ele bateu o petista Arlindo Chinaglia (SP), nome bancado pelo Planalto, por 267 votos contra 136.

O anúncio foi comemorado com fogos de artifício disparados por aliados na Esplanada dos Ministérios. Horas antes, petistas já haviam "jogado a toalha" e buscavam culpados pelo vexame. Outros 100 deputados votaram em Júlio Delgado (PSB-MG) e 8, em Chico Alencar (PSOL-RJ). Houve 2 votos em branco.

A votação foi secreta e a traição, grande. Apesar de os partidos que apoiavam Chinaglia reunirem 180 cadeiras, ele teve 44 votos a menos. "Uma parte não votou em mim, o que você quer que eu diga?", lamentou o petista.

Houve consenso de que PR, PSD e PDT lideraram as traições. Partidos que têm ministérios no governo já haviam aderido oficialmente a Cunha, entre eles o PRB de George Hilton (Esporte).

"Se fosse a Dilma, eu demitia o ministro amanhã, senão vão achar que ela é frouxa", comentou o deputado Paulo Maluf (PP-SP).

Apesar de adotar um discurso de que não fará uma gestão de oposição ao governo, Cunha tem agora poderes para dar seguimentos a CPIs incômodas para o governo e até a eventual processo de impeachment contra Dilma.

Ele afirmou que eventual pedido de impedimento é "descabido". Em seu discurso no plenário da Câmara, porém, sublinhou o mal-estar com o PT e o governo. Disse que foi tratado como inimigo.

"Não há possibilidade de que eu vá exercer uma gestão de oposição, mas também ninguém vai me ver se curvar ou ser submisso a qualquer coisa que não seja a vontade da maioria desta Casa."

Em sua primeira fala após ser eleito, anunciou como primeira medida a votação de tema incômodo ao Planalto, a proposta que obriga o governo a liberar verbas para as emendas que os congressistas fazem ao Orçamento.

Evangélico, Cunha já deu declarações contrárias a projetos de movimentos sociais e da comunidade gay. Também já disse que não apoia o fim do financiamento privado de campanhas e a regulação econômica da mídia, defendidos pelo governo.

A última vez em que o governo federal sofreu derrota semelhante na Câmara foi na vitória de Severino Cavalcanti (PP-PE) em 2005.

Pego de surpresa pelo resultado, o Planalto avaliou ter uma base real de apoio de apenas 136 deputados, os que votaram em Chinaglia, mas que usará a montagem do segundo escalão para reaglutinar a base. Nos debates sobre a razão do fracasso, a atuação de ministros foi criticada.

Iniciando seu quarto mandato, Cunha presidirá a Câmara até janeiro de 2017, sucedendo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

O novo presidente da Casa deverá ser alvo de inquérito no caso que apura o esquema de corrupção na Petrobras. O peemedebista nega ter qualquer relação com o caso.

(RANIER BRAGON, MÁRCIO FALCÃO, ANDRÉIA SADI E NATUZA NERY)

Nenhum comentário: