PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

quinta-feira, fevereiro 05, 2015

TRIUNFO. BASTA SABER DE QUEM?

05/02/2015 às 0:11 \ Brasil, Cultura

Em vídeo, a denúncia “estarrecedora” contra Lula e Dilma no Jornal da Band, incluindo a frase emblemática atribuída ao ex-presidente: “Poder Judiciário não vale nada. O que vale são as relações entre as pessoas”

O empresário Auro Gorentzvaig, cuja família foi sócia durante anos da Petrobras na refinaria Triunfo, no Rio Grande do Sul, relatou ao Ministério Público que a estatal comprou a petroquímica Suzano, da família Pfeffer, pelo triplo do preço e que Lula e Dilma sabiam de tudo. Além disso, o ex-presidente mantinha relações estreitas com Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras. Assista ao vídeo da reportagem-bomba do Jornal da Band, levada do ar na terça-feira (3). Sintetizo e complemento em seguida.



De acordo com o empresário, a compra das refinarias Suzan e Ipiranga foram feitas por preços bem acima do mercado, numa ação conjunta da estatal com a Braskem, do grupo Odebrecht (aquele, repito, que pagou 23 milhões de dólares a Costa, segundo o próprio delator). Eram “empresas que estavam altamente endividadas”, diz ele. “Foi uma venda de marketing feita pelo grupo Odebrecht ao presidente Lula e à presidente Dilma Rousseff”.

No caso da Suzano, eis os valores da negociata:



(“Pagamos o preço adequado e justo”, dissera o então presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, rebatendo acusações da oposição sobre o custo excessivo.)

Auro Gorentzvaig conta que procurou o então presidente Lula, porque não aceitava a incorporação da Triunfo pela Braskem, o que representava um desrespeito ao acordo de acionistas. Ele conseguiu a reunião em 26 de fevereiro de 2009, no Centro Cultural do Banco do Brasil, em Brasília, por intermédio do petista Luiz Marinho, atual prefeito de São Bernardo do Campo.

Segundo o empresário, após expor ao então presidente da República que a Justiça lhe dava razão e sugerir que fosse feita uma divisão de mercado com a empresa do Grupo Odebrecht, Lula pôs a mão na sua perna e soltou esta “pérola” emblemática de seu estilo:

“Poder Judiciário não vale nada. O que vale são as relações entre as pessoas.”

(A Petroquisa, braço da Petrobras que mantém sociedade com a Braskem, acabaria incorporando a Triunfo em 2009.)


Paulo Roberto Costa, Gabrielli, Dilma e Lula
Em sua denúncia à Procuradoria-Geral da República, Gorentzvaig disse ainda que Paulo Roberto Costa era um operador de Lula e que Dilma Rousseff, na condição de presidente do Conselho de Administração da Petrobras, era uma executora do plano de Lula e da Odebrecht de concentrar o setor petroquímico.

“Todas as determinações da Petrobras eram de Lula e de Dilma Rousseff”, declarou.

Auro e o irmão foram orientados a escrever tudo que sabem e protocolar a denúncia junto ao Ministério Público, à Polícia Federal e ao juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba.

Braskem, Suzano, Lula e Planalto negaram tudo. Caberá agora ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, definir se abrirá ou não um inquérito para apurar as denúncias. Espero que elas sejam investigadas.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Nenhum comentário: