PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

segunda-feira, junho 29, 2015

QUEM LÊ TANTA NOTÍCIA?

SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

Sinopses anteriores:  
29 de junho de 2015
O Globo

Manchete : Escândalos derrubam papéis de empreiteiras
Após prisão de executivos, títulos emitidos no mercado externo registram desvalorização

Papéis de Odebrecht e Andrade Gutierrez eram negociados a 80,6% e 77% do seu valor de face , respectivamente, patamares abaixo do registrado no último dia 19
Odebrecht e Andrade Gutierrez viram seus títulos da dívida emitidos no exterior perderem valor desde a prisão de seus presidentes, no dia 19 deste mês. Os papéis da Odebrecht eram negociados a 80,6% de seu valor de face, que é de US$ 100, na última sexta-feira. No dia 19, o patamar era de 85%. Em dezembro de 2014, os investidores pagavam prêmio pelo papel, negociado a 101,4% do valor de face. O tombo da Andrade Gutierrez foi maior : de 85% para 77% do valor de face , também de US$ 100. As empreiteiras ainda correm o risco de ser em rebaixadas pelas agências de classificação. (Pág. 15)
Delação do dono da UTC amplia investigação de políticos no STF
As revelações de Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, levaram o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a fazer novos pedidos de produção de provas contra políticos nos inquéritos da Operação Lava-Jato no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF). Também haverá desdobramentos numa ação da Justiça Eleitoral sobre contas de campanha da presidente Dilma, que, ontem, evitou o assunto, no primeiro dia de sua viagem aos EUA. (Págs. 3 a 5)
Pessoa diz que pagou a Lobão para garantir Angra 3 (Pág. 4)

Grécia decreta feriado bancário
Os bancos do país ficarão fechados hoje, sem data para reabertura. Após a formação de enormes filas nos caixas automáticos no fim de semana, os saques serão limitados a 60 euros diários, segundo fontes. (Pág. 16)
Ricardo Noblat
Em jogo, a cabeça de Dilma

O escândalo em torno da roubalheira na Petrobras subiu a rampa do Palácio do Planalto, onde despacham o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, o ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Aloizio Mercadante, e a presidente da República, Dilma Rousseff. Em outro front, bateu à porta do Instituto Lula, na capital paulista, onde costuma ser encontrado o ex-presidente. (Pág. 2)
George Vidor
Caiu mas está se levantando

Até as regiões do agronegócio sentiram a retração da economia , mas a safra de milho vai superar a do ano passado (Pág. 16)
Editorial
Tema em discussão : Fim da reeleição

Vã esperança

Limites ao uso da máquina estão na legislação, o campo apropriado para combater essa prática (Pág. 12)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete : Grécia fecha bancos hoje e Europa teme colapso
País adota medida após União Europeia se recusar a esticar prazo de negociações; EUA temem crise

A Grécia fecha seus bancos hoje e impõe limite de saque de €60 para tentar evitar o colapso de sua economia. As medidas adotadas depois de a União Europeia se recusar a ampliar socorro financeiro ao país colocaram as capitais europeias em estado de alerta diante do risco de queda do euro. O país precisa pagar parte de sua dívida até amanhã. A crise fez com que o presidente dos EUA, Barack Obama, telefonasse para a chanceler alemã, Angela Merkel, para pedir que a UE não abandone Atenas. (...) (Economia/Págs. B1 e B3)
Reunião nos EUA tem empresa da Lava Jato
As investigações da Operação Lava Jato ficaram fora da pauta do encontro que a presidente Dilma Rousseff teve ontem em Nova York com representantes de 25 empresas brasileiras com investimentos nos EUA. Entre elas, porém, estava a Braskem, sociedade da empreiteira Odebrecht e a Petrobras que é um dos alvos das investigações de corrupção. Ao fim da reunião, o presidente da companhia, Carlos Fadigas, disse ao Estado que a operação da Polícia Federal não é assunto da viagem de Dilma. (...) (Política/ Págs. A4 e A6)

análise - José Roberto de Toledo

Seis meses depois de peitar os Estados Unidos, Dilma já havia pedido o que ganhara com a bravata. (Pág. A7)
País tem só sete drones dentro das normas
Estima-se que haja entre 50 mil e 100 mil veículos aéreos não tripulados (drones) no Brasil. A Anac se preocupa com o risco de acidentes e prepara uma portaria para regulamentar seu uso. (Metrópole/Pág. A13)
Foto-legenda : Festa e vaias na Avenida Paulista
A ciclovia da Paulista, inaugurada ontem, levou pedestres e ciclistas à via, que ficou interditada para carros. Um trecho foi pintado com tinta azul e o prefeito Fernando Haddad (PT) foi vaiado por um grupo antipetista. (Metrópole/ Pág. A12)
Paulo Sotero
Entre Brasília e Washington

Passados dois anos, Dilma retorna aos EUA. O colapso da política econômica estatista removeu o grande obstáculo para uma aproximação. (Espaço Aberto/Pág. 2)
Jorge Okubaro
Descrédito e irresponsabilidade

Neste ambiente político marcado por incapacidade de um lado e oportunismo barato de outro, a população vai pagando a conta. (Economia/Pág. B28)


Editorial
Finanças arruinadas

Enquanto cai a arrecadação tributária, as despesas públicas continuam a crescer. (Pág. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Às portas do calote, Grécia fecha bancos
Meta é evitar saques no dia em que o país deve deixar de pagar 1,6 bi de euros ao Banco Central Europeu. População avaliará relação com credores em plebiscito. (Notícias | 14)
Lava Jato - Como a versão do dono da UTC será investigada ( Notícias | 6 e 7)

Visita de Dilma - Acordo comercial com os EUA ganha força
Ideia foi debatida pela presidente com dirigentes de empresas do Brasil que operam naquele país. (Notícias | 9)
Mais 28 haitianos chegam ao Estado
Do grupo que desembarcou no domingo na Capital, 19 não têm colocação garantida . (Notícias | 17)
Plano de saúde - IPE quer cobrar dos dependentes
Proposta que será levada hoje ao governador Sartori tenta equilibrar contas do Instituto. (Notícias | 13)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete : "O governo precisa de reforma radical em sua cúpula"
O deputado federal Miro Teixeira (Pros-RJ) diz que há vários governos dentro do governo da presidenta Dilma, que loteou os ministérios.“Ela é uma pessoa íntegra, mas essa falta de unidade é fatal, não vai dar certo”. Para ele, será complicado o Executivo superar a atual crise de popularidade. Miro defende que uma das medidas a serem tomadas é a redução do número de ministérios para algo em torno de 18 a 20, “sem uma capitania de partidos políticos”. (Págs. 4 a 7)
Energia em rede inteligente
Das 63 distribuidoras do país, 14 desenvolvem projetos que utilizam a infraestrutura elétrica para investimentos futuros em TI. (Pág. 15)
Inflação: CMN afina a meta para ajudar BC
Economistas dizem que decisão auxiliará Brasil a alcançar países que lutam para manter seu custo de vida em 2% a 3% ao ano (Pág. 3)
Uma visita para tentar superar o episódio da espionagem
Antes da viagem aos Estados Unidos, que começou ontem, a presidenta Dilma Rousseff destacou a necessidade de fazer parcerias comerciais com diversos países, mas destacou o papel do Mercosul na estratégia brasileira (Pág. 9)
Petrobras adia divulgação de seu plano de negócios
Crise econômica e impacto da investigação da Lava Jato são causas da revisão (Pág. 11)
Olhar do Planalto
JOSÉ NEGREIROS

APOSTA NA RECUPERAÇÃO

A decisão tomada pelo Conselho Monetário Nacional de reduzir o intervalo de tolerância para a inflação de 2017 de 2 pontos porcentuais para 1,5 ponto porcentual reflete o esforço do Banco Central para recuperar a credibilidade da política de combate à inflação. A intenção é capitalizar seu efeito sobre a derrubada dos preços tomando, mais adiante, a medida mais esperada que é a redução da taxa de juros. Esse passo será determinante para a retomada da economia, de acordo com as expectativas do governo, segundo uma fonte que acompanhou o processo da decisão. (...) (Pág. 2)
O mercado como ele é...
LUIZ SÉRGIO GUIMARÃES

CATURRICE SÁDICA

A garantia presente em todos os documentos oficiais do Copom de que os esforços para trazer a inflação do ano que vem ao centro de 4,5% da meta de inflação ainda não foram “suficientes” — o principal “guidance” de política monetária a sinalizar o prosseguimento do ciclo de alta da taxa Selic —, mostra-se
contraditória se for confrontada com algumas conclusões a que chegaram estudos internos do próprio Banco Central publicados como anexos do último Relatório de Inflação (RI). São penduricalhos ao texto principal que, se fossem incorporados a ele, iriam contradizê-lo. Mas, como podem ser consideradas peças indissociáveis do RI, acabam por ratificar a percepção de que o BC vem insistindo na elevação da Selic apenas por sadismo ou birra. (Pág. 20)
Ponto Final
OCTÁVIO COSTA

PESSOA, O GRANDE CORRUPTOR

Há alguns dias, um jovem repórter, ao ouvir comentário que fiz sobre uma reportagem da “Veja”, teve a seguinte reação: “Ah, você ainda lê a revista dos inimigos!” (...) Infelizmente, o tempo passou e, hoje, “Veja” tornou-se “inimiga” dos jovens politizados que sonham com as bandeiras românticas da esquerda. É apontada como porta-voz da direita. Até gente experiente que critica os erros cometidos pelo PT deixou de ler a revistona. E com certa razão. (Pág. 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Próxima de calote, Grécia fecha bancos e limita saque
Medidas buscam evitar fuga de capitais; prazo para pagar FMI vence na terça

Diante do risco de calote e da falta de acordo com credores, a Grécia decidiu fechar os bancos nesta segunda-feira (29) e restringir transações financeiras. Caixas eletrônicos devem operar a partir de terça com limite de saque diário. O premiê Alexis Tsipras, que anunciou as medidas pela TV, aposta numa última conversa com líderes europeus para salvar o país de um colapso e da saída da zona do euro. A Grécia precisa quitar dívida de € 1,6 bilhão com o FMI na terça. Para tanto, quer desbloquear o acesso a € 7,2 bilhões, última parcela do socorro de € 240 bilhões recebido de FMI e Banco Central Europeu desde 2010. Sem acordo, o país teme quebrar, e por isso tenta controlar a insolvência de seus bancos. Tsipras pediu paciência à população e disse que salários e aposentadorias estão garantidos. O americano Barack Obama acionou a alemã Angela Merkel em busca de uma solução que evite a saída dos gregos da zona do euro. (Mercado a13)
Com Dilma fora, Lula vai a Brasília discutir a crise
Na ausência de Dilma Rousseff, em viagem aos Estados Unidos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comanda nesta segunda-feira em Brasília uma série de reuniões para cobrar do PT uma reação à nova rodada de denúncias que atingem o partido e o Planalto. Ministros defendem uma estratégia conjunta entre a presidente e Lula, embora a relação dos dois esteja estremecida. O ex-presidente tem feito críticas públicas à condução do governo. (Poder a4)

Valdo Cruz

Às vezes beira o desespero a reação do PT à delação sobre caixa dois na reeleição. (Opinião a2)
Ciência sem Fronteiras gera saia justa com a Casa Branca
Atraso nos pagamentos a universidades dos EUA pelo programa Ciência sem Fronteiras causou uma saia justa às vésperas do encontro de Dilma com Obama, nesta segunda, informa Patrícia Campos Mello. Segundo autoridade americana, a retomada dos repasses, em maio, melhorou o quadro. O governo brasileiro nega e diz que os depósitos estão em dia. (Mundo a8)
Prisões da Lava Jato são abusivas e visam coagir, afirma jurista
Crítico da Operação Lava Jato, o jurista Celso Antônio Bandeira de Mello, 78, afirma que a imprensa “monta palco” para o juiz Sergio Moro e que, com a Olimpíada, “esse assunto vai morrer”. Professor da PUC-SP e próximo da esquerda, Mello diz que as prisões estão sendo usadas para coação. “Há abuso e excesso.” (Poder a6)
Entrevista da 2a. - Eduardo Cunha
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quer pôr em votação a criação do parlamentarismo, que vê como evolução política necessária. Ele diz que impeachment não é recurso eleitoral. “O Brasil não é uma republiqueta.” (Pág. a12)
Editoriais
Leia “Construção do atraso”, acerca de deficit de mobilidade urbana no país, e “Igualdade na Justiça”, sobre casamento gay nos Estados Unidos. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário: