PENSAR "GRANDE":

***************************************************
[NÃO TEMOS A PRESUNÇÃO DE FAZER DESTE BLOGUE O TEU ''BLOGUE DE CABECEIRA'' MAS, O DE APENAS TE SUGERIR UM ''PENSAR GRANDE''].
***************************************************


“Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo...” (Abraham Lincoln).=>> A MÁSCARA CAIU DIA 18/06/2012 COM A ALIANÇA POLÍTICA ENTRE O PT E O PP.

----

''Os Economistas e os artistas não morrem..." (NHMedeiros).

"O Economista não pode saber tudo. Mas também não pode excluir nada" (J.K.Galbraith, 1987).

"Ranking'' dos políticos brasileiros: www.politicos.org.br

=========
# 38 RÉUS DO MENSALÃO. Veja nomes nos ''links'' abaixo:
1Radio 1455824919 nhm...

valor ...ria...nine

folha gmail df1lkrha

***

terça-feira, abril 12, 2016

PP: O QUE ERA DOCE SE ACABOU...

Josias de Souza

Desembarque do PP pode ser o beijo da morte


Encena-se nesta terça-feira em Brasília a coreografia mais melancólica do processo de impeachment de Dilma Rousseff. O PP, Partido Progressista, campeão no ranking de encrencados no petrolão, decidiu desembarcar do governo. O gesto pode significar o beijo da morte para o governo.
A portas fechadas, o PP contou seus votos. Dos 47 deputados da legenda, 37 informaram que estão fechados com o impedimento de Dilma. Nove gostariam de votar contra. Um se manteve em silêncio. Consumado o resultado, o líder Aguinaldo Ribeiro, que era contra a deposição da presidente, passou a costurar a unanimidade pró-impeachment.
A resistência da cúpula do PP funcionava como um dique. A posição majoritária dos deputados rompeu a barragem. Os próprios operadores políticos do governo admitem, em privado, que a enxurrada pode arrastar para o lado da oposição os votos que faltavam para ultrapassar a marca dos 342 necessários à abertura do processo de impeachment.
O governo receia perder o controle que ainda imaginava ter sobre o PR do mensaleiro condenado Valdemar Costa Neto e o PSD do ministro Gilberto Kassab. Saltam do barco governista também legendas menores, como o PRB (22 deputados) e o PTN (13 deputados).
Sucede com Dilma um fenômeno típico de governantes em fim de linha: as bases dos partidos desautorizam os acordos fechados pela cúpula. Fisiológicos até a alma, os deputados do PP, por exemplo, batem em retirada no instante em que Lula oferece aos dirigentes da legenda a pasta da Saúde e a presidência da Caixa Econômica Federal.
Deve-se o desapego a dois fatores. O primeiro é que os políticos já não confiam em Dilma. Duvidam até que ela vá entregar o que promete se sobreviver ao impeachment. O segundo fator é a voz do asfalto. Deputado é capaz de tudo, menos de se indispor com o seu eleitor. Sem o dinheiro fácil da Petrobras, o apoio a Dilma tornou-se um empreendimento falimentar.

http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2016/04/12/desembarque-do-pp-pode-ser-o-beijo-da-morte/

Maluf e o efeito manada






Feliz da vida com a avaliação

Espera votação expressiva
Feliz após a votação do impeachment na comissão da Câmara, Paulo Maluf, até pouco tempo aliado do governo, disse esperar um efeito manada no plenário, com votação expressiva a favor do impeachment.
http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/impeachment/maluf-e-o-efeito-manada/

Nenhum comentário: